quarta-feira, 15 de junho de 2011

A verdadeira família acossada entre os extremos

O que pode ser definido como “verdadeira família”? Segundo a Constituição e a própria Bíblia, o núcleo formado por um homem, uma mulher e filhos. Não fosse assim, nem a humanidade existiria, já que a procriação é prerrogativa do macho e da fêmea. A fidelidade conjugal, o amor, o respeito e a sexualidade sadia são aspectos promovidos pelos escritores bíblicos (leia Cantares de Salomão para ter uma ideia do tipo de amor romântico que Deus espera de e incentiva em um casal unido pelo matrimônio). Infelizmente, o inimigo de Deus sempre procura levar a humanidade para os extremos, pois sabem que eles são perigosos e não trazem verdadeira satisfação/felicidade. Claro que é preciso respeitar a liberdade de escolha de todos, inclusive daqueles que buscam – consciente ou inconscientemente – a autodestruição física, emocional e/ou espiritual. É preciso, além de respeitá-los, amá-los, ainda que se discorde do estilo de vida que adotam.

Segundo matéria publicada no DN Globo, “centenas de milhares de pessoas desfilaram [no sábado] em Roma no Europride, uma parada homossexual que serviu para protestar contra os ditames do Vaticano e a Itália ‘retrógrada’ do primeiro-ministro Silvio Berlusconi. [...] Na mira dos manifestantes esteve o Vaticano, que considera a homossexualidade um comportamento ‘desordenado’ e um pecado. Muitas [pessoas] levavam cartazes em que a cúpula da Basílica de São Pedro surgia cortada por um ‘não’ ou que proclamavam ‘Papa não, Gaga sim’, referindo-se à artista norte-americanaLady Gaga, que [se apresentou] depois do desfile”.
O texto informa ainda que “entre 300 mil e 500 mil [...] dançaram em volta de cerca de 40 caminhões, com um pequeno comboio reservado para as ‘famílias [sic] arco-íris’ de pais homossexuais e as suas crianças. [...] Paolo Patane, dirigente do grupo italiano Arcigay, afirmou esperar que o desfile possa contribuir para derrotar o governo de direita deSilvio Berlusconi, já afetado pelos maus resultados nas eleições autárquicas. [...] No ano passado, quando questionado sobre os escândalos sexuais em que esteve envolvido, Silvio Berlusconi respondeu que ‘é melhor gostar de meninas bonitas do que ser gay’. [No sábado], os manifestantes do Europride retribuiram o ‘mimo’: em cartazes e camisolas, um dos dizeres era ‘é melhor ser gay do que ser Berlusconi’.”

As atitudes machistas, impróprias e indecentes do primeiro-ministro italiano, sempre envolvido em escândalos sexuais com garotas, acabam reforçando o, digamos, campo adversário. Não é melhor ser gay em lugar de ser Berlusconi, como também não é melhor ser Berlusconi em lugar de ser gay. O melhor é ser fiel ao cônjuge, seguir os preceitos bíblicos no que tange à verdadeira família e viver a sexualidade pura criada por Deus para o contexto abençoado do casamento, no qual devem existir compromisso, respeito e romantismo – ingredientes que, segundo pesquisas, contribuem para a saúde e felicidade integrais do ser humano. Fuja dos extremos e peça ajuda a Deus para viver a vida como ela foi criada para ser vivida.[MB]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...