sexta-feira, 2 de março de 2012

A influência dos livros de vampiros e bruxos


Quer virar um vampiro? Uma boa maneira de começar, aparentemente, é lendo bastante sobre eles. Ah, se preferir se tornar um bruxo, a dica também vale. Nós nos identificamos tanto com os personagens dos livros que lemos (e curtimos!) que acabamos adotando, semperceber, algumas características do comportamento deles. Isso já foi comprovado por vários estudos, e é considerado normal. A novidade maluca aqui é que o efeito é verdadeiro mesmo quando os tais personagens são seres que não existem.

Pesquisadores da Universidade de Buffalo (EUA) colocaram 140 voluntários para ler, por 30 minutos, trechos de um livro da série Crepúsculo ou da série Harry Potter. Depois, todos tiveram que responder a questionários que incluíam, no meio de perguntas normais (para ninguém desconfiar), questões mais direcionadas – para os que leram sobre vampiros, “quanto tempo você conseguiria ficar sem dormir?” e “o quão afiados são os seus dentes?”, por exemplo; para os que ficaram com os bruxinhos, coisas como “você acha que, se tentasse bastante, poderia ser capaz de mover um objeto usando apenas o poder da mente?”.

“A análise mostrou que os participantes que leram sobre bruxos começaram a pensar como bruxos, enquanto os que leram sobre vampiros começaram a pensar como vampiros”, diz o estudo. Ou seja, os dois grupos ficaram mais propensos a acreditar que tinham ou poderiam desenvolver capacidades sobrenaturais após lerem as histórias. Na prática, isso não significa muita coisa – a mudança, normalmente, é inconsciente, e o efeito do livro tende a se dissipar em pouco tempo, conforme a gente se foca em outra história. Mas não é muito louco?

Vale tomar cuidado para não sair mordendo ninguém por aí, tentando voar etc.


Nota: O cuidado, por parte dos cristãos preocupados com a formação do caráter e dos padrões de pensamento, tem que ser muito maior. O tipo de leitura (inclua aí filmes, músicas, sites, etc.) que consumimos vai determinar a influência modeladora sobre nossos pensamentos e ações. Jesus mesmo disse que “o homem bom, do bom tesouro do seu coração [mente] tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração [mente] tira o mal” (Lucas 6:45). Que tipo de influência você quer dominando sua mente? Com quem você quer se identificar? Faça a sua escolha.[MB]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...