terça-feira, 21 de agosto de 2012

Por que o homem tem mamilos? (2)

Os evolucionistas regularmente levantam essa questão como argumento contra o conceito do Deus Criador. Afinal, dizem eles, se Deus é o Criador onisciente, por que Ele criaria os homens com uma estrutura sem utilidade? Nas fêmeas, os mamilos possuem função óbvia: amamentar os bebês. Qual é, portanto, o propósito dos mamilos nos homens? Uma visão evolutiva comum em relação aos mamilos é de os eles serem “restos” do nosso passado evolutivo; eles são considerados órgãos vestigiais. Isso sugere que eles eram funcionais no passado, mas, à medida que a evolução progrediu, a função deles teria se perdido.

Ao examinarmos essa visão a respeito dos mamilos, rapidamente nos apercebemos de que ela, tal como toda a “explicação” evolutiva, não faz sentido algum. De fato, é uma evidência muito pobre em favor da teoria da evolução. Se os mamilos são de fato vestigiais, então eles tinham uma função mais robusta no passado. Será que os evolucionistas sugerem que nossos ancestrais amamentavam os recém-nascidos e que  à medida que a evolução progrediu essa habilidade se perdeu? Alternadamente, será que os evolucionistas alegariam que nossos ancestrais eram todos do sexo feminino e que todos os machos modernos descendem de uma população 100% feminina que perdeu a habilidade da lactação?
Na verdade, os evolucionistas alegam que os mamíferos evoluíram dos répteis e que a divergência entre macho e fêmea ocorreu inicialmente nos répteis. Por que, então, ocorreu outra divergência à medida que os seres humanos começaram a evoluir? Se a evolução estivesse de acordo com a realidade, poderia ser alegado que os mamilos dos machos se encontram ainda em desenvolvimento, e que num futuro evolutivo próximo eles serão capazes de amamentar! 

O modelo criacionista, por outro lado, fornece uma explicação muito superior em relaão à presença atual de mamilos nos machos. Os mamilos masculinos não são resquícios do nosso não existente “passado evolutivo”, mas, sim, vestígios do nosso passado embrionário. De maneira nenhuma eles diminuem as habilidades do Deus Criador ou colocam em dúvida a sabedoria infinita dEle. Na verdade, os mamilos nos machos são uma evidência em favor da “economia no design”.

Cedo na sua maturação, os embriões masculinos e femininos são essencialmente iguais. Todos esses embriões possuem estruturas que formarão as características físicas distintas dos machos e das fêmeas. Por exemplo, durante as fases iniciais do desenvolvimento, todos os embriões possuem o canal de Wolf e o canal de Muller. Devido à influência do cromossomo Y, o sistema Wolf se desenvolve em direção às estruturas internas e externas da anatomia masculina, enquanto os canais de Muller regridem. Reciprocamente, na ausência do cromossomo Y, o sistema Wolf regride consideravelmente, e o sistema de Muller se desenvolve até ao limite do seu potencial, formando muitas das estruturas da anatomia feminina.

Convém ressalvar, no entanto, que os embriões “não começam todos fêmeas”. A composição genética de cada indivíduo é colocada em seu lugar logo no momento da fertilização (momento em que tem início a vida humana biológica). Isso significa que o “programa” para construir os machos e as fêmeas se encontra determinado logo de início, sendo o gênero anatômico apenas o resultado da expressão desses genes.

O sistema de dutos mamários e o mamilo associado, que se desenvolve na 6ª semana, é o mesmo em ambos os gêneros. O rudimentar sistema de dutos mamários se mantém indistinguível à nascença. Esse tecido é hormonalmente sensível e responde ao estrogênio maternal transferido através da placenta ao produzir uma secreção conhecida como “leite neonatal” ou “leite das bruxas”.
O tecido mamário se mantém pouco desenvolvido até que é influenciado pelo estrogênio nas etapas iniciais da puberdade feminina. Se os mamilos são “inúteis” para os machos, então eles são igualmente inúteis para as meninas pré-púberes, e, usando a lógica evolucionista, inúteis para qualquer mulher que não esteja amamentando.

Deve-se ressaltar o fato de que os mamilos masculinos não são inúteis, como tem sido sugerido, uma vez que eles são muito sensíveis e uma fonte de estímulo sexual. Além disso, caracterizá-los como “vestigiais” é problemático, uma vez que eles se encontram totalmente vascularizados e possuem uma rede nervosa mais do que adequada. Por que os mamilos estariam desse modo, se realmente fossem estruturas sem utilidade?

Longe de ser um “problema” para a Bíblia, a presença de mamilos nos machos é, na verdade, mais um exemplo da sabedoria e criatividade do Criador a quem servimos (aqueles que escolheram servi-Lo). São os evolucionistas que têm problemas com esse tecido, uma vez que, dentro de um cenário evolutivo, eles não conseguem fornecer qualquer tipo de razão para a existência e persistência de mamilos masculinos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...